O Brasil tem o maior rebanho bovino comercial do mundo, aproximadamente 170 milhões de cabeças. A grande maioria deste rebanho é de gado zebu, com predominância da influência de sangue nelore, uma raça com muitas virtudes, porém com algumas limitações.

       Com o objetivo de complementar o nelore na produção de carne, foram testados cruzamentos com quase todas as raças européias. Esta prática (cruza zebu x taurino) é chamada de cruzamento industrial, e devido a heterose promove ganhos incontestáveis na produtividade de aproximadamente 20%. Após criteriosa análise dos resultados de todos os  cruzamentos, concluímos, com certeza absoluta, que a melhor opção para a maioria dos sistemas de produção que conhecemos, em países de clima tropical e subtropical, é a cruza de vacas zebuínas com touros da raça simental. Pois suas características são complementares e  a variabilidade genética existente na raça simental permite atender a todos os tipos de mercado.            Apesar do nelore ser uma raça com muitas virtudes e inegavelmente a base para produção de carne em nossas condições, esta quando cruzada com o simental fica ainda melhor pois este vai agregar maior habilidade materna, maior velocidade de ganho de peso,a lém da qualidade da carcaça inclusive no quesito maciez da carne. 
      
Os produtores brasileiros já importaram milhares de animais e milhões de doses de sêmen da raça simental de inúmeros países de todos os continentes. Grande parte desses animais importados não se adaptou a nossas condições, e animais que eram campeões provados e melhoradores genéticos em seus países de origem, tiveram resultados muito ruins em nossas condições e se mostraram, na prática, pioradores genéticos em nossas condições.
        Quanto a seleção de reprodutores baseado apenas em critérios de julgamentos nas pistas, particularmente não acreditamos neste tipo de seleção e a experiência nos mostrou que muitas vezes este critério é prejudicial além de caro.
        Trabalhando com a raça desde 1989 e tendo viajado por mais de 20 países para conhecer as características das diferentes linhagens da raça, há alguns anos demos início a nosso plantel, buscando os melhores animais, de criatórios que durante décadas selecionaram procurando conciliar a adaptabilidade e a produtividade. Tivemos a oportunidade de arrematar os melhores animais da Fazenda Charrua ( Eldorado MS) de Jaime Moller, do rebanho 3H ( Bady Bassit SP) de Humberto Baruf, da Agropecuária Canaã (Botucatu SP)de Antonio Dias Felipe. Alem disso fizemos importantes aquisições nos rebanhos de Alan Fraga (fazendas Sabiá e Fundão em Muqui ES), Yasmin M.Schilling (Faz.Primavera em Rancharia SP), Geraldo Fonseca Siqueira (sufixo do Ingá MG), Maria Lucia Bourg ( Faz. Pau Dalho em Pinda SP ) e outros.
        Rotineiramente,  porém com muito critério nos utilizamos das mais modernas técnicas reprodutivas: inseminação artificial, transferência de embriões e fertilização in vitro, com o objetivo de acelerar o melhoramento genético. Atualmente nosso rebanho conta com aproximadamente 150 cabeças de animais puros simental.

        A grande maioria dos nossos animais tem sangue da chamada “linhagem nacional”, que é uma linhagem desenvolvida no Brasil, sobretudo no estado do Espírito Santo, desde as primeiras importações da raça em 1904, através do cruzamento absorvente entre o simental e o gado zebuíno, principalmente animais da raça Guzerá. Esta linhagem, tendo mais de cem anos de seleção em clima tropical e subtropical, gerou animais que se tornaram mais resistentes a ecto e endoparasitos, se acostumaram a pastar gramíneas como a brachiaria e o colonião, se acostumaram ao clima quente e a pastos de grandes extensões.
       Esta maior resistência a endo parasitas pode ser comprovada cientificamente pelo trabalho realizado pelo professor Wilson Nakamoto da Unesp Botucatu, que comprovou que os animais da linhagem nacional são muito mais resistentes a babesiose que as outras linhagens da raça simental assim como outras raças de taurinos.
       Nossos critérios de seleção são bem definidos e são baseados em 4 características que estão apresentadas abaixo em ordem de importância:
 
 

1-Rusticidade

Nossos animais são criados a campo, em pastos de capins como as brachiarias e os panicum (ex:colonião), apenas algumas categorias recebem uma pequena suplementação.Todos os animais são supervisionados quanto a freqüência respiratória. Desde o início de nosso criatório selecionamos os animais mais resistentes a carrapatos, sendo todo o rebanho avaliado individualmente e descartando os animais mais suscetíveis a infestação. Também selecionamos nossos animais para pêlos curtos e, hoje, grande parte de nossos bezerros já nascem com o que chamamos pêlo zero . Buscamos em nossos reprodutores animais de testículos medianos e cascos resistentes, sendo descartados animais com testículos muito pendulosos e cascos com problemas.

 

2-Fertilidade

A fertilidade e a longevidade reprodutiva são características diretamente ligadas a adaptação.Neste sentido selecionamos  animais baseados no número de serviços por prenhes,idade ao segundo parto e intervalo entre partos.Todos os reprodutores são vendidos com exame andrológico.

 

3-Habilidade materna

Buscamos fêmeas que não tenham problemas de parto, que sejam boas mães e cuidem bem de seus bezerros.Devem ter boa produção leiteira sem ser excessiva , que tenham tetas de tamanho médio e produzam bezerros com peso ao nascer dentro da média da raça e logo estejam ativos e mamando.


Fogo aos 11 meses com alimentação limitada a 3kg/dia, pesando aproximadamente 500 kg.

4-Velocidade de ganho de peso

Todos os nossos animais participam do programa de melhoramento genético da ABCRSS, sendo que 95% é positivo para todas as características avaliadas. A média do nosso rebanho é aproximadamente 5 vezes maior do que a média da raça em todas as características (dados de 2011).
Corroborando com essas altas DEPs, temos o resultado da prova de ganho de peso do instituto de Zootecnia de Sertãozinho SP, onde animais de nosso plantel conquistaram o primeiro e o segundo lugar.
Nossos touros são criados com o principal objetivo de cobrir vacas nelores e aneloradas no campo, não necessitando tratamento especial para se adaptar rapidamente à nova fazenda e produzir animais meio sangue de qualidade.
Temos um pequeno núcleo de vacas mochas e um pequeno núcleo de vacas que têm como objetivo principal a produção de leite em pasto.
A maioria dos nossos animais apresenta pigmentação ocular (óculos). Durante 10 anos pesquisamos o pedigree de mais de 200 animais que apresentaram este tipo de problema em diversos rebanhos em todo o Brasil e chegamos a conclusão de que esses problemas são muito mais freqüentes em determinadas famílias existentes na raça. Baseado neste estudo, além de descartarmos os animais destas famílias, não utilizamos reprodutores com esta genética, atitude que se mostrou extremamente eficaz na prevenção de lesões oculares.

Também não selecionamos animais com base na cor. Apesar de acreditarmos, pela observação, que os animais mais claros se adaptam melhor ao clima tropical.Focamos nossa seleção em características produtivas e não em uma característica de mercado que com certeza é passageira.
Não buscamos uma homogeneidade fenotípica pois sabemos que existem mercados diferentes que buscam animais de biótipo diferentes, por isso temos animais de frame pequeno, médio e grande, porém todos eles têm que ter em comum RUSTICIDADE, FERTILIDADE, HABILIDADE MATERNA E VELOCIDADE DE GANHO DE PESO.


Pegada da Charrua
Aos 13 anos mantida exclusivamente
a campo, tem 11 filhos.


Safrina da Charrua
Filha da Pegada da Charrua.

      Nossa seleção esta baseada fortemente nessas 4 características, porém não descuidamos de outras, como por exemplo, a precocidade e a musculosidade. Este fato pode ser comprovado pela ultima medição oficial feita na Feicorte 05. Nesta oportunidade um animal de nosso criatório (Eterna da Taurus Reg tauE6) foi comparado com mais de 60 outros indivíduos de outros rebanhos e teve a segunda maior área de olho de lombo e a segunda melhor espessura de gordura por 100 kg de peso vivo.

O sêmen de nossos touros é coletado na Central Bela Vista no município de Pardinho-SP e é qualificado para exportação, assim como nossos embriões que também são genotipados.



Lote de bezerros mamando sem suplementação.



Zanini aos 6 anos e Tijela aos 9 anos,
exclusivamente a campo.



Lote de bezerros, observar comprimento de pelos, aprumos e musculatura.






 

VOLTAR


Fazenda Água do Moinho
Avaré-SP

(14) 3882-6468

Histórico | DOADORAS | EMBRIÕES | Reprodutores à vendaVISITAS RECENTES  |  Pagina Principal | CONTATO | TAURUS GENÉTICA